segunda-feira, 17 de maio de 2010

Nosso eu, uma pequena compreensão minha


As pessoas fazem uma compreensão do teu eu, fazem julgamentos do que elas tem como valores morais desde que concebidos, você faz julgamentos a partir do que você tem como valores, certo e errado deste modo em seu self já constituído.
A nossa realidade, verdade não será a mesma para outro alguém, a nossa individualidade gera muitos conflitos de forma que julgamos comportamentos, atos de acordo com nossos valores e escolhas já constituídos, que por sua vez devem ser revistos constantemente, por isto estamos num amadurecimento contínuo.
Claro que, não devemos nos desfazer de nossas verdades e valores, mas, devemos moderá-los, usá-los de forma que não nos domine mas, sim nos guie na vida.
É essencial rever paradigmas constantemente...
Temos que tolerar a multiplicidade de existências, e vários olhares, é uma arte viver...vendo deste modo penso eu. Nossa verdade e realidade não é única, creio que todos estão cientes disto.
Partimos do pressuposto que cada indivíduo possui uma estrutura psíquica, um id (desejo) e este por sua vez vai ter uma ego(eu) como aliado e um super ego como inimigo..., o super ego(vai puxar as rédias do ego para não abusar e satisfazer todos desejos do Id) mas, de fato o que nos move na vida é o id, e a partir de cada estrutura que vai se constituir e que não vou me deter aqui, vamos constituindo certos olhares, escolhas, valores, defesas para viver em sociedade.
E para viver em “sociedade”, nessa instituição de acordo com cada cultura devemos nos adaptar, vamos nos moldando, julgando, isto não serve para mim, este outro serve etc...Vamos escolhendo conforme nossas experiências. Jung em seus escritos diz “todos nós nascemos originais e morremos cópias”, de fato... vamos nos constituindo a partir dos outros, pai, mãe, amigos, indivíduos, introjetando coisas, pré-conceitos, gostos, como num quebra - cabeça vamos nos montando.
E o sonho vai fazer parte integrante do que somos, e o desejo...vai nos mover na vida...enquanto sujeitos.
Enfim, nunca devemos desistir de nossos sonhos, a verdade surge quando olhamos para dentro de nós em definitivo com nossa reflexão e descobrimos que nossos desejos nos movem na vida de fato, quando Lacan, Freud e outros autores ratificam esta idéia me sinto ainda mais ciente desta, e penso que a vida vale a pena quando nos encontramos em nós mesmos sempre num amadurecimento e quando nos damos conta que na realidade a Felicidade absoluta que todos almeijam, não existe...porque todos somos seres incompletos desde o nascimento, mas, que vamos saber disto mais tarde no complexo de édipo e a única felicidade no qual existe é desfrutar/gozar/aproveitar... os pequenos momentos, experiências no decorrer da vida, eis a tão sonhada Felicidade.
Ah, quanto ao fato de sermos incompletos...aí é outra história que não vou me deter...Freud explica!
Por fim, reflita comigo, tamanha é a complexidade do trabalho de um psicólogo, entender, acolher, compreender, dar suporte à indivíduos e situações singulares, que também são seres um tanto quanto complexos, não é uma tarefa nada fácil!
Aliene lemes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário